CAFÉS DO CENTRO DE FORTALEZA

CAFÉS DO CENTRO DE FORTALEZA

 

Em 1920 Godofredo Maciel era o Prefeito de Fortaleza. Ele decretou a derrubada de quatro quiosques que existiam nos cantos da Praça do Ferreira. Devido ao incremento desses empreendimentos, alguns levavam no nome de restaurantes. Café Java (Nordeste); Café e Restaurante do Comércio (Noroeste); Café e restaurante Iracema (Sudoeste) e Café Elegante (Sudeste). Todos datam de 1891, sendo o Java mais antigo (1887). Foi no Café Java de Propriedade do Sr. Manuel Pereira dos Santos (Manuel Côco) que nasceu em 1892 o maior movimento literário de Fortaleza: A Padaria espiritual. Todos os escritores e poetas eram chamados de Padeiro-mor, e tinham pseudônimo. Felix Ganabarino era o nome de Adolfo Caminha, aracatiense que estragou em literatura, nossa Fortaleza, no último quartel do século XIX, com a obra A Normalista. Passou para a sociedade da época que Fortaleza só tinha pedófilo, bêbados, e desocupados na rua trilho de ferro (atual Tristão Gonçalves). Não estou falando de quem escreveu, mas o que ele escreveu. Tenho respeito pela memória de todos que já nos deixaram, então, seria covardia de minha parte falar de quem não pode se defender.

“Ó Estrangeiro, ó peregrino, ó passante de pouca esperança – nada tenho para te dar, também sou pobre e essas terras não são minhas. Mas aceita um cafezinho.

A poeira é muita, e só Deus sabe aonde vão dar esses caminhos. Um cafezinho, eu sei, não resolve o teu destino; nem faz esquecer tua cicatriz.

Mas prova… Bota a trouxa no chão, abanca-te nesta pedra e vai preparando o teu cigarro…

Um minuto apenas, que a água já está fervendo e as xícaras já tilintam na bandeja. Vai sair bem coado e quentinho.

Não é nada, não é nada, mas tu vais ver: serão mais alguns quilômetros de boa caminhada… E talvez uma pausa em teu gemido!

Um minutinho, estrangeiro, que teu café já vem cheirando…”

Aníbal Machado

 

Mais cafés: Café Belas Artes; Café Expresso; Café Havaí; Café pelotas; Café Presidente; Café Rotisserie; Café Emigdio; Café Riche; Recentemente o Café do Waldo que ficava na esquina das ruas Gulherme Rocha com Barão do Rio Branco.