LOCOMOTIVA BALDWIN Nº. 30

 

   

   Adquirida quando, a Rede de Viação Cearense estava sob o domínio da “Inspetoria Federal de Obras Contra as secas – IFOCS”, essa unidade cujo número anterior era 503, não é de fabricação ALCO nem seu ano de 1912, como diz em “sua” placa. Fabricada em abril de 1922 pela “The Baldwin Locomotive Works”, na mesma encomenda vieram mais 8 unidades, todas do tipo Tanque (0-4-0) e receberam a seguinte numeração: 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30,31 e 33. A Baldwin nº 30 entrou em serviço na RVC no dia 24 de maio de 1924. Pertencente a classe 4 -16-C e por ser do tipo “Manobra”, com a inauguração das Oficinas do Urubu em 1930, a mesma passou a tracionar o Trem dos operários e assistir aos serviços das oficinas.

 Com a chegada das primeiras locomotivas Diesel-Elétricas em 2 de outubro de 1949, gradativamente as locomotivas à vapor foram sendo aposentadas e em seguida, destruídas. Em 1 de janeiro de 1963 circularam as últimas máquinas à vapor.

Encostada no muro das Oficinas do Urubu (Demósthenes Rockert), a Baldwin nº 30 fora protegida da destruição com o tombamento sob o nº 8.499.  Aos 10 de setembro de 1982 referida máquina passou a ser Ícone, como preciosa peça do Centro de Preservação da História ferroviária do Ceará. Repousa na esplanada da Sede da Transnordestina Logística S/A.