WILSON MACHADO

RECORDAÇÃO SAUDADE

E OS ANOS NÃO CARREGARAM

DEZ ANOS SEM WILSON MACHADO

Wilson Machado e Narcélio Lima Verde – Divertimentos em Sequência

 

 

José Wilson Machado Borges (Wilson Machado) nasceu em São Pedro do Cariri, Caririaçu, aos 25 de dezembro de 1927. Perdeu seu pai ainda novo. Sua mãe, dona Celeste mandou ele ao Crato para fazer o Seminário Menor, pois, era da vontade de sua genitora que o mesmo seguisse a carreira eclesiástica. Desistiu quando foi para vir para Fortaleza fazer o Seminário Maior.

A única voz do Crato estava muda que era a amplificadora Cratense fundada em 1937. No natal de 1946 fez uma leitura no microfone da amplificadora e aí a coisa pegou. Animou-se e foi formando uma nova equipe, dentre eles Wilson Aguiar, João Ramos e o próprio WM.

Em 1951 foi inaugurada a Rádio Araripe do Crato e Wilson Machado migrou para as ondas hertzianas e pontificou como gerente. Surgiram outros nomes como Edilmar Norões, Karla Peixoto, Cândido Colares e João Ramos que logo veio para Fortaleza.

Em 1956 com a inauguração da Rádio Verdes Mares em Fortaleza que na época pertencia aos Diários Associados, veio ser diretor artístico da emissora caçula de Assis Chateaubriand. Iniciou com o programa Momo Chega Cedo, e após o carnaval de 57, começou às tardes sendo animada com o famoso Disque M para a Musica que começou com a característica Isquenta Mulher que ficou até 1960, quando com o advento da Televisão, o programa tomou novo formato e a característica agora mudou para Aguenta o Cordão frevo executado com a banda de Oswaldo Borba e musica de Livino Ferreira sendo o maior sucesso no carnaval de 1960.

Wilson Machado dividiu o rádio com a Politica, sendo eleito vereador em 1962 e na eleição de 1966 logrou êxito para a Assembleia Legislativa ficando até 1982. Depois voltou a se dedicar somente ao rádio com os programas: Recordação Saudade aos domingos pela manhã, seguida da Parada dos Maiorais com patrocínio da Ceará Gás Butano.

Pela manhã de segunda à sexta tinha E Os Anos Carregaram com musicas do passado, e a tarde era o Disque M para Musica, que ficou no ar até 1972. Com a saída da Assembleia Legislativa do Centro de Fortaleza, o E os Anos Carregaram deu uma parada, vindo para o ar em março de 1993 pelas ondas da Rádio Assunção Cearense no horário de 5 as 6 hs.

Ele foi professor de muitos alunos que almejaram labutar ao microfone, e eu fui uns dos que muito aprenderam com esse veterano, que deixou grande legado no serviço de radiocomunicação no Ceará.

Em 2004 Wilson Machado após passagem pela Iracema, Assunção voltaria à sua casa, Ceará Rádio Clube, 1200kHz e somente aos domingos com o Recordação Saudade e a famosa Parada dos Maiorais, programa que vinha conduzindo desde 1956.

Aos 19 de novembro de 2006, problemas de doença gastrointestinal, apresentou seu último programa, mas por questão contratual ficou sendo substituído por Heleno Lopes e Aurélio Brasil, até que em janeiro de 2007, numa sexta feira (dia 26) soube-se de seu óbito. Deixou-nos Wilson Machado aos 80 anos incompletos.

O rádio cearense havia perdido um dos seus ícones. Esse Jornalista Ficou no lendário com a  frase:  “Alô mamãe, um cheiro pra você, um abraço e a sua benção”. Ele ficou na lembrança de cada um de nós, pelo menos eu o acompanhei de 1966 até sua morte.

Estive com sua esposa, Sra Ineuda Machado para entrevistá-la e ela de pronto no apartamento me mostrou em confiança, sua extraordinária discoteca com raríssimos interpretes, discos os mais diversos que rodaram em todos os seus programas. Sensacional também foi o paginar do álbum fotográfico, já que na época de sua atuação na televisão não existia vídeo tape.

Fica aqui esse registro, uma data que marca 10 anos de silêncio, dez anos de ausência de um excelente companheiro, dez anos de Recordação e Saudade.

 

Francisco de Assis Silva de Lima, Jornalista Mtb 3503 SR/CE